Mensagem da Irmã Glória Argoti, sequestrada no Mali por jihadistas

8 de julho de 2021
Irmã Gloria Narváez sequestrada em Mali em 2017. Foto: Vatican News

A mensagem foi enviada através da Cruz Vermelha Internacional a seu irmão Edgar Narváez escrita pela própria irmã colombiana: “Espero que Deus me ajude a reconquistar minha liberdade”.

Por Vatican News

“Envio a todos as minhas mais calorosas saudações. Que o bom Deus lhes abençoe e conceda saúde a todos. Sou prisioneira há quatro anos, e agora estou com um novo grupo”. Com estas palavras, a religiosa franciscana colombiana de 57 anos, Gloria Narváez Argoti, deu notícias de si mesma em uma mensagem enviada através da Cruz Vermelha Internacional a seu irmão Edgar Narváez. Isto foi relatado em um comunicado da Ajuda à Igreja que Sofre (ACS), que pôde verificar a carta de 11 linhas datada de 3 de fevereiro de 2021, escrita à mão em espanhol em letras maiúsculas com uma esferográfica azul. A família recebeu a carta em maio.

O sequestro

Sequestrada há quatro anos em Karangasso, no Mali, Irmã Gloria identifica o grupo terrorista, que atualmente a mantém refém, como o GSIM, o Grupo de Apoio ao Islã e aos Muçulmanos. Trata-se de uma formação pertencente a uma aliança jihadista ativa no Sahel e ligada à Al Qaeda. “Peço que rezem muito por mim. Que Deus abençoe a todos. Espero que Deus me ajude a reconquistar minha liberdade. Sua irmã amorosa, Gloria”, conclui sua breve mensagem.

Falando à organização “Ajuda à Igreja que Sofre”, o irmão da religiosa lembrou que com sua primeira mensagem ele havia informado sua irmã da morte de sua mãe de 87 anos, Rosita Argoti de Narváez. O irmão da religiosa também disse à ACS que a libertação, em outubro do ano passado, de sua companheira de prisão, a médica francesa Sophie Petronin, deixara sua irmã muito abalada.

Após a libertação de Sophie Petronin, “eles a transferiram para o grupo mencionado em sua carta, o GSIM, em um local ainda mais remoto. Mas pouco a pouco ela se recuperou mentalmente, e agora ela está bem novamente”, acrescentou seu irmão. Uma missão internacional liderada pela Colômbia, enviada à África com o objetivo de garantir sua libertação, foi suspensa em junho, após o novo golpe no Mali, em maio, após o de agosto do ano passado.

Fonte: Vatican News

Conteúdo Relacionado