Religiosa colombiana sequestrada há quatro anos no Mali é libertada

Irmã Gloria Narvaez ao lado de bispo católico do Mali. Foto: Presidência do Mali/Twitter

A missionária colombiana, Irmã Gloria Cecilia Narvaez, sequestrada há quatro anos por extremistas islâmicos do Mali, foi finalmente libertada neste sábado, 09 de outubro e já se encontra em Roma.

Militantes da facção Frente de Libertação de Macina, um grupo terrorista ligado à al-Qaeda, sequestraram a religiosa em 7 de fevereiro de 2017 no Níger na paróquia de Karangasso, na fronteira com Burkina Fasso, onde se encontrava em missão há seis anos. Os extremistas acusaram Irmã Gloria, 59 anos, e membro da Congregação das Irmãs Franciscanas de Maria Imaculada, de querer converter muçulmanos, que são majoritários no Mali.

Poucos meses depois, foi divulgado um vídeo com o grupo al-Qaeda reivindicando o sequestro. Viveu parte do seu cativeiro com o sacerdote italiano Pierluigi Maccalli, sequestrado em 2018 libertado em 8 de outubro de 2020. 

Alegria do Episcopado da Colômbia

Dom Mario de Jesús Álvarez Gómez, presidente da Comissão das Missões da Conferência Episcopal da Colômbia, gravou uma mensagem manifestando alegria pela libertação da religiosa.

“Como presidente da Comissão das Missões do Episcopado Colombiano, é com imensa alegria que anuncio a libertação da Irmã Gloria Cecilia Narváez, Irmã da Congregação das Irmãs Franciscanas de Maria Imaculada, que foi recentemente libertada na África do Mali”, disse o bispo em uma vídeo mensagem.

Durante esses anos, Irmã Gloria conseguiu se comunicar com a família, que enviava cartas que chegavam ao cativeiro. Enquanto esteve sequestrada, soube da morte de sua mãe na Colômbia aos 87 anos.

O jornal colombiano “El Tiempo” afirma que existia uma preocupação com o estado de saúde de Gloria. Ainda não há detalhes sobre as condições físicas da freira colombiana nem do possível retorno ao país sul-americano.

A saudação do Papa Francisco

Este domingo, 10 de outubro, segundo a Sala de Imprensa da Santa Sé, antes da celebração da missa de abertura do Sínodo dos Bispos na Basílica de São Pedro, o Papa Francisco saudou a religiosa e o fez novamente no final da celebração eucarística.

Papa Francisco saúda Irmã Glória em Roma. Foto: Vatican News
Extremismo preocupa norte da África

O caso envolvendo a freira colombiana é mais um entre tantos episódios de violência envolvendo extremismo islâmico na região do Sahel, faixa entre o deserto do Saara e a África Subsaariana. A situação mais tensa é justamente ali onde a religiosa foi sequestrada, entre o Mali e a Burkina Faso.

A França, que colonizou grande parte da região e mantém diálogo com os governos dos países do Sahel, tem presença militar nas áreas mais críticas. Houve inclusive operações que vitimaram militares franceses.

Em julho, o presidente Emmanuel Macron afirmou que a França vai começar a fechar as bases militares no norte do Mali e que manterá um limite de até 3 mil soldados na região, bem menos do que os 5,1 mil presentes atualmente.

Com informações do G1 e Vatican News

Conteúdo Relacionado