A Igreja Católica no Egito

29 de abril de 2021
Antigas pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos – Foto: Lucas Estevam (estevampelomundo.com.br)

Na República Árabe do Egito, há vários ritos católicos: copta, latino, armênio, caldeu, maronita, siríaco e greco-melquita. Os católicos são apenas 0,28% da população, numa realidade majoritária muçulmana (94,9%).

Por Fernando Altemeyer *

A superfície do Egito é de 1.001.449 quilômetros quadrados e faz fronteiras com Israel, Palestina e Sudão. A língua oficial é o árabe, mas também se fala inglês, francês, copta, berbere, núbio ou oromo. Sua capital é o Cairo. Tem um índice de fecundidade de 3,17 filhos por mulher, uma expectativa de vida de 73,5 anos e uma população urbana que soma 42%.

O Egito é um grande produtor de cítricos. O país tem posição geopolítica estratégica ao situar-se entre o Mediterrâneo e o Índico mediado pelo canal de Suez.

Atualmente são 102.955.000 habitantes, dos quais 288.274 católicos participantes de sete diferentes ritos, ou seja, 0,28% da população, segundo as estatísticas publicadas pela Santa Sé.

Dados Eclesiais

Há 15 circunscrições eclesiásticas católicas, sendo dois Patriarcados (Alexandria dos Coptas, com sede em Alexandria e Alexandria dos Greco-melquitas, com sede em Damasco, na Síria), doze eparquias, um vicariato apostólico e um exarcado greco-melquita para o Egito, Sudão e Sudão do Sul. Estão presentes no Egito: rito copta (183.000 batizados), rito latino (22.000 batizados), rito armênio (6,5 mil batizados), rito caldeu (três mil batizados), rito maronita (cinco mil batizados), rito siríaco (1.650 batizados) e rito greco-melquita (6,2 mil batizados).

O episcopado egípcio conta com 23 prelados sendo um cardeal patriarca emérito do rito copta, um patriarca do rito copta, um núncio apostólico, um arcebispo do rito greco-melquita, onze bispos ou eparcas de diferentes ritos, um vigário apostólico e sete bispos eméritos.

Foto da catedral católica armênia, bem ao lado de uma mesquita muçulmana – Foto: Ahmed Yousry Mahfouz (wikipedia)

A organização pastoral se faz por meio de 204 paróquias, 274 centros de atendimento pastoral. Os ministros do povo de Deus são 497 sacerdotes (237 padres do clero secular e 260 membros do clero religioso), oito diáconos permanentes, 94 seminaristas maiores, 73 irmãos, 1.135 religiosas consagradas, dois membros de institutos seculares, três missionários leigos, 1.929 catequistas.

Os muçulmanos sunitas são 94,9% e os cristãos coptas 5%. Existem pequenas e vigorosas comunidades cristãs no Egito: Copta-ortodoxa, Católica, Greco-ortodoxa, Anglicana e Evangélica.

Curiosidades

A evangelização principia em Alexandria a partir do século II, com uma importante comunidade cristã, centro de expansão missionária, como um patriarcado e Escola Teológica fundamental. Nasceram em Alexandria dois dos maiores doutores da Antiguidade: Atanásio e Cirilo.

A tradição litúrgica do Egito, em particular do originário patriarcado de Alexandria, foi desenvolvida em mosteiros espalhados pelo deserto desembocando no que é hoje o rito copta.

O patriarcado grego de Alexandria adotou o rito bizantino no século 12 da era cristã. O rito copta se expandiu para a Etiópia sofrendo fortes influencias siríacas. Parte dos coptas está unida a Roma desde 1741.

A Igreja católica copta se apresenta como: Patriarcado da Igreja Católica Copta, com sete eparquias no Egito, com 183 mil membros participantes batizados. Os missionários estão presentes desde o século 17.

O primeiro patriarcado foi estabelecido pelo papa Leão XII em 1824 e renovado em 1895. As línguas litúrgicas são o copta e o árabe. O patriarca é Sua Santidade papa Antonios Naguib. O patriarcado tem 247 padres e 220 centros de atendimento pastoral.

Serviço de saúde oferecido por Cáritas no Egito – Foto: Caritas Egypt

Hoje há pequenas e pujantes comunidades coptas e de rito latino trabalhando em obras de ação solidária e caritativa em todo o Egito. O papa Francisco visitou o país nos dias 28 e 29 de abril de 2017.

Padroeiros:

São Marcos Evangelista e São Cirilo de Alexandria.

Três cardeais na história da Igreja Católica do Egito:

  1. Stéphanos I Sidarouss, C.M., Patriarca de Alexandria dos coptas desde 1958 (criado cardeal pelo papa São Paulo VI em 22/02/1965), nascido em 22/02/1904 e faleceu em 23/08/1987.
  2. Stéphanos II Ghattas, C.M. Patriarca de Alexandria dos coptas desde 1986 (criado cardeal pelo papa São João Paulo II em 21/02/2001). Nascido em 16/01/1920. Falecido em 20/01/2009.
  3. Antonios Naguib (criado cardeal pelo papa Bento XVI em 20/11/2010). Patriarca de Alexandria dos coptas. Nascido em 18/03/1935. Atualmente com 85.71 anos. Cardeal não eleitor.

Bispos presentes ao Concílio Vaticano I de 08/12/1869 a 20/10/1870:

  1. Abraham Agabio (Agapios) Bsciai (Bishai) †, Vigário Apostólico de Alexandria (rito copta); Idade: 38.6 anos.
  2. Luigi Ciurcia, O.F.M. †, Vigário Apostólico do Egito; Idade: 51.0
  3. Paolo Angelo Ballerini †, Patriarca de Alexandria do Egito (-Eliopoli di Egitto-Port-Said); Idade: 55.9

Bispos presentes ao Concílio Vaticano II de 1962 a 1965. Todos falecidos.

  1. Alexandros Scandar †, Bispo de Assiut {Lycopolis} (rito copta); Idade: 69.5 anos.
  2. Amand Louis Marie Antoine Hubert, S.M.A. †, Vigário Apostólico de Heliópolis do Egito; Idade: 65.2
  3. Basile Pierre Charles Habra †, Bispo Auxiliar de Cairo (rito siríaco); Idade: 65.7
  4. Isaac Ghattas †, Bispo de Luqsor {Tebe} (rito copta); Idade: 56.2
  5. Jean de Capistran Aimé Cayer, O.F.M. †, Vigário Apostólico de Alexandria do Egito,  Idade: 65.4
  6. Joseph Elias Tawil †, Vigário Patriarcal do Egito e Sudão dos Greco-melquitas; Idade: 51.7
  7. Paul Nousseir †, Bispo de Minya {Ermopoli Maggiore; Minieh} (rito copta); Idade: 68.8
  8. Pietro Dib †, Bispo de Cairo (rito maronita); Idade: 83.3
  9. Raphaël Bayan, I.C.P.B. †, Bispo de Iskanderiya {Alexandria} (rito Armênio); Idade: 51.5
  10. Stephanos I Sidarouss, C.M. †, cardeal Patriarca de Alexandria; Idade: 61.6
  11. Youhanna Kabes †, Bispo Auxiliar de Alexandria (rito copta); Idade: 46.1
  12. Youhanna Nueir, O.F.M. †, Bispo de Assiut {Lycopolis} (rito copta); Idade: 51.0
Irmãos coptas ortodoxos do Egito

A Igreja copta remonta ao tempo da pregação do evangelista Marcos nas terras do Egito. O Patriarca da Igreja Copta Ortodoxa, no Cairo, é Sua Santidade Papa Tawadros II (118º sucessor apostólico) reconhecido como o Papa de Alexandria e Patriarca de Apostólico de toda a África sobre a Santa Sé de São Marcos. Seu nome de batismo é Waǧīh Ṣubḥī Bāqī Sulaymān.

Papa Francisco e Patriarca Tawadros II em um momento de diálogo ecuménico. Foto: Vatican Media

A Igreja Ortodoxa tem oito milhões de fieis pastoreados nas oito sedes metropolitanas e 35 dioceses. São 31 dioceses no Egito, duas no Sudão, uma em Jerusalém e uma na África Oriental. Os coptas ortodoxos dirigem 100 mosteiros e muitas faculdades de teologia no Egito. Os vinte e um mártires assassinados na Líbia pertenciam a esta Igreja do Egito. O Patriarcado Ortodoxo de Alexandria tem sede no Cairo, Egito.

* Perfil da Igreja católica de vários ritos na República Árabe do Egito – Gumhuriyyah Misr al-Arabyyah. Pesquisa para o portal da Consolata realizada pelo Prof. Dr. Fernando Altemeyer Junior – Departamento de Ciências Sociais da PUC-SP.  email: fajr@pucsp.br

Fontes da pesquisa: www.vatican.vawww.catholic-hierarchy.orgwww.cardinals.fiu.eduwww.secam.org

Conteúdo Relacionado