A Igreja Católica na Coreia do Sul

Padre Han em celebração junto a um grupo de partilha de paz. Foto: Archivo IMC Coreia

Um dos imensos celeiros vocacionais de presbíteros católicos para a Igreja na atualidade, 10,5% da população sulcoreana se declara católica e está crescendo.

Por Fernando Altemeyer *

Com uma superfície de 99.274 quilômetros quadrados, faz fronteiras com a Coreia do Norte. Possui um relevo montanhoso. No país se fala o coreano. Sua capital é Seul, com 10 milhões de habitantes. O índice de fecundidade é de 1,16 filhos por mulher e a esperança de vida é de 77,14 anos.

Com uma população urbana é de 80%, a poluição se tornou um grande problema pós-industrial. Está investindo pesado em tecnologia aeronáutica e de armamentos para deter know-how e expertise em fabricação própria. Quer tornar-se uma potencia aeroespacial no lançamento de foguetes. Dois famosos grupos coreanos são Samsung e Hyundai-Kia. Também produz uma grande quantidade de arroz, que exporta principalmente para a China.

Atualmente são 50.424.000 habitantes, dos quais 5.393.000 católicos, ou seja, 10.5% da população, segundo as estatísticas publicadas pela Santa Sé. A capital é Seul com dez milhões de habitantes.

Dados Eclesiais

Há 16 circunscrições eclesiásticas: três arquidioceses ou sedes metropolitanas, 12 dioceses e um ordinariato militar. O episcopado conta com 43 bispos, sendo dois cardeais (um atuando no Vaticano), 5 arcebispos, 1 núncio apostólico e 35 bispos.

A organização pastoral se faz por meio de 1.673 paróquias e 2.556 centros de atendimento pastoral. Os ministros do povo de Deus são 4296 sacerdotes (3608 padres do clero secular e 688 membros do clero religioso), três diáconos permanentes, 516 irmãos, 1739 seminaristas maiores, 9.067 religiosas consagradas, 50 membros de institutos seculares, 175 missionários leigos e 14.195 catequistas.

Os irmãos protestantes, os reformados e os anglicanos somam 30%, budistas somam 30%, seita Moon conta com 10%, confucionistas 3%, agnósticos e ateus 17%.

Curiosidades                                 

A evangelização principia pela ação evangelizadora de leigos coreanos desde 1784. Em 1794 chega à península o primeiro presbítero e já encontra 4000 católicos. Em 1857 existem 15.000 católicos. No século 19 ocorrem quatro perseguições enormes contra os cristãos produzindo milhares de mártires.

Em 09/09/1831 é erigido o Vicariato Apostólico da Coreia. Tornou-se depois Vicariato Apostólico de Seoul em 08/09/1911. Em 1962 a capital se torna arquidiocese. A imensa maioria católica é composta por mulheres. A comunidade dos irmãos protestantes é duas vezes maior que o número de católicos. A religião majoritária é o budismo Marahyana que está diminuindo em favor dos católicos.

O papa São João Paulo II esteve no país em maio de 1984 e em outubro de 1989. O papa Francisco visitou a Coreia do Sul em agosto de 2014.

Santo André Kim e os companheiros mártires coreanos

Em 17 de agosto de 1845 era ordenado o primeiro sacerdote católico coreano: padre André Kim Dae-geon. São mais de 6.700 sacerdotes na história católica da Coreia, o que a torna um imenso celeiro vocacional de presbíteros católicos.

Padroeiros

Maria, Mãe da Igreja; São José; Santo André Kim, Paul Chong e companheiros mártires.

Quatro cardeais na história coreana

  1. Stephen Sou Hwan Kim, criado cardeal pelo papa São Paulo VI em 1969. Falecido.
  2. Nicholas Cheong Jin-Suk, Arcebispo Emérito de Seoul, criado cardeal em 2006 pelo papa Bento XVI. Falecido.
  3.  Andrew Yeom Soo-Jung, Arcebispo de Seoul, criado cardeal em 2014, pelo papa Francisco. Idade atual: 78,54 anos. Eleitor.
  4. Mons. Lazzaro You Heung-sik – Prefeito da Congregação para o Clero. Nascido em 17/11/1951 em Nonsan-gun Chungnam. Será criado cardeal eleitor pelo papa Francisco em 27/08/2022. Idade: 70,65 anos. Eleitor.

Nenhum bispo presente ao Concilio Vaticano I (1869-1870)

Bispos presentes ao Concílio Vaticano II (1962-1965), sendo que um está vivo atualmente

  1. Andrien-Joseph Larribeau, M.E.P. †, Bispo de Daejeon {Taejon}; Idade: 82.6
  2. Daniel Tji Hak Soun †, Bispo de Wonju; Idade: 44.0
  3. Harold William Henry, S.S.C.M.E. †, Arcebispo de Kwangju; Idade: 56.2
  4. James Vincent Pardy, M.M. †, Bispo de Cheongju {Ch’ongju}; Idade: 67.5
  5. John A. Choi Jae-seon †, Bispo de Busan {Pusan}; Idade: 53.7
  6. John Baptist Sye Bong-Kil †, Arcebispo de Daegu {Taegu}; Idade: 54.4
  7. Paul Marie Kinam Ro †, Arcebispo de Seoul; Idade: 62.7
  8. Peter Han Kong-ryel †, Bispo de Jeonju {Chonju, Jeon Ju}; Idade: 52.6
  9. Peter Hoang Min Syeng †, Bispo de Daejeon {Taejon}; Idade: 42.1
  10. Thomas Quinlan, S.S.C.M.E. †, Bispo de Ch’unch’ŏn; Idade: 69.0
  11. Victorinus Youn Kong-hi, Bispo de Suwon; Idade: 40.8. VIVO.
  12. William John McNaughton, M.M., †, Bispo de Incheon {Inch’on}; Idade: 38.8
Missionários da Consolata na Ásia

A abertura dos Missionários da Consolata (IMC) para a Ásia, como parte de seu carisma ad gentes, desejado e proposto durante muitos anos, foi definitivamente aprovado pelo VIII Capítulo de 1987 da congregação. É assim que os primeiros quatro missionários partiram para a Coreia do Sul em 18 de janeiro de 1988 e foram recebidos na diocese de Incheon pelo bispo William J.McNaughton.

A presença missionária na Coreia do Sul é caracterizada pelo diálogo interreligioso com cultura oriental, com as grandes religiões, na evangelização junto as classes sociais mais pobres, especialmente com os imigrantes, e a animação missionária e vocacional. Como fruto desse trabalho missionário, há no momento seis sacerdotes sulcoreanos IMC. Atualmente os Missionários da Consolata estão em Yeokgok-dong (Diocese de Incheon), Daejeon (Diocese de Daejoen) e em Tong-du-cheon-si (Diocese de Ui-jong-bu).

Em 2003, em comunhão e colaboração com os Missionários do Consolata, a presença da Consolata na Ásia foi enriquecida com a abertura em Mongólia, onde a congregação ainda está presente com seu trabalho no campo de primeiro anúncio e a formação da igreja local. Seguindo as indicações dadas pelo Capítulo Geral de 2011, em 20 de setembro de 2014, erigiu uma nova comunidade na Diocese de Hsinchu, ilha de Taiwan (R.O.C.).

Em 21 de março de 2016, as três presenças continentais asiáticas (Coreia do Sul, Mongólia e Taiwan) foram unidas na nova Região da Ásia, com sede oficial em Incheon (Coreia).

* Perfil da Igreja Católica da República da Coreia do Sul – Taehan Min´guk. Pesquisa do Prof. Dr. Fernando Altemeyer Junior, assistente doutor do departamento de Ciências Sociais da PUC-SP email: fajr@pucsp.br

Fontes de pesquisa: http://cardinals.fiu.edu/; http://www.catholic-hierarchy.org/country; http://www.deepask.com/; https://pt.wikipedia.org/wiki/; https://www.pewforum.org/data/; www.vatican.va

Conteúdo Relacionado