A Igreja Católica em Eswatini

6 de janeiro de 2022
Dom José Luis Ponce de Leon, IMC, bispo de Manzini – Foto: Arquivo pessoal

A única diocese de todo o reino é Manzini, com 15 paróquias e 117 centros de atendimento pastoral. O atual bispo é dom José Luís Gerardo Ponce de León, missionário da Consolata argentino.

Por Fernando Altemeyer *

O reino de Eswatini, antiga Suazilândia, tem uma superfície de 17.363 quilômetros quadrados. É circundado pela África do Sul e com uma pequena fronteira de 105 km com Moçambique. Suas capitais são Lobmba e Mbabane. No reino se falam inglês, africaner e swazi.

Tem uma taxa de fecundidade de 2,52 filhos por mulher, a expectativa de vida é de apenas 49,2 anos e sua população urbana é de 24%. É um grande produtor de açúcar.  Pertence ao Commonwealth britânico.

Atualmente são 1.397.000 habitantes, dos quais 72.644 católicos, ou seja, 5,2% da população, segundo as estatísticas da Santa Sé.

Dados Eclesiais

A única diocese de todo o reino é Manzini. O atual bispo é dom José Luís Gerardo Ponce de León, missionário da Consolata nascido em Buenos Aires na Argentina (60,64 anos). Foi indicado bispo em 29/11/2013. O atual núncio apostólico é o arcebispo norte-americano Peter Bryan Wells, residente na África do Sul.

A organização pastoral se faz por meio de 15 paróquias e 117 centros de atendimento pastoral. Os ministros do povo de Deus são 26 sacerdotes (14 padres do clero secular e 12 membros do clero religioso), 15 seminaristas, 15 irmãos, 43 religiosas consagradas, 200 catequistas.

Os protestantes somam 43%, muçulmanos 1%, Igreja zionista 40%, crenças tradicionais 1% e sem afiliação 9,4%. 

Curiosidades

A evangelização principia pelos padres e irmãos servitas em 1913. A Prefeitura Apostólica de Suazilândia foi erigida em 19/04/1923. Em 1939 tornou-se Vicariato Apostólico e posteriormente diocese em 1951.

Domingo de Ramos em Manzini – Foto: Arquivo pessoal

O nome anterior Bremersdorp foi mudado para Manzini em 07/11/1961. A hierarquia católica foi estabelecida em 1951 pelo papa Pio XII. O reinado estabeleceu relações diplomáticas com o Vaticano em 1992.

O primeiro Prefeito Apostólico foi Mons. Pellegrino Bellezze, O.S.M. (*1884+1961) que faleceu em São José dos Campos, SP, Brasil em 18/08/1961, atuou em Suazilândia entre 1923 e 1933 quando renunciou. O papa São João Paulo II visitou o país em setembro de 1988.

Nunca houve cardeal de eSwatini.

Nenhum bispo presente ao Concílio Vaticano I de 08/12/1869 a 20/10/1870.

Bispo presente ao Concílio Vaticano II de 1962 a 1965:

Dom Costantino Maria Attilio Barneschi, O.S.M. †, italiano, bispo de Manzini, presente nas sessões 1, 2 e 3. Nascido em 1892. Faleceu em 21/05/1965.

Misioneros de la Consolata en Eswatini

Em 2013, José Luis Ponce de León, Missionário da Consolata argentino que trabalhava por muitos anos na África do Sul, foi eleito Bispo de Manzini, Eswatini. Assim, em 2016, os Missionários da Consolata, que estão na África do Sul há mais de 50 anos, iniciaram uma nova presença missionária neste pequeno reino.

O serviço pastoral em uma das paróquias da diocese, na cidade de Kwaluseni, começou oficialmente em 2017, dedicado ao acompanhamento dos católicos, ao diálogo inter-religioso e à promoção humana.

* Perfil da Igreja Católica do Reino de eSwatini – antiga Suazilândia (Ngwanei). Pesquisa preparada para o Portal da Consolata pelo Prof. Dr. Fernando Altemeyer Junior – Departamento de Ciências Sociais da PUC-SP.  Email: fajr@pucsp.br  

Fontes da pesquisa: www.vatican.va; http://www.catholic-hierarchy.org/country; http://cardinals.fiu.edu/1873-2019-country.htm; https://secam.org/

Conteúdo Relacionado