A Igreja Católica em Burkina Faso

24 de fevereiro de 2021

Fiéis diante de igreja católica em Burkina Fasso, país do oeste da África atingido por extremismo religioso  – Foto: Agencia Fides

A Igreja Católica tem um empenho constante no diálogo inter-religioso no país, mas há tensões por grupos terroristas. Sua organização pastoral se faz por meio de duas arquidioceses, 13 dioceses, 173 paróquias e 953 centros de atendimento pastoral.

Por Fernando Altemeyer *

A superfície do país é de 274.200 quilômetros quadrados, fazendo fronteiras com Benin, Costa do Marfim, Gana, Mali, Níger e Togo. Sua capital é Ouagadougou com 1,5 milhão de habitantes. A festa nacional é celebrada em 11 de dezembro (autonomia na Comunidade Francesa em 1958).  Cruzam o país três rios: Volta Negro, Volta Vermelho e Volta Branco. Os principais idiomas são: francês, foulfouldé, tamacheq e dialetos locais.

Burkina Faso tem um índice de fecundidade de 4,51 filhos por mulher, uma esperança de vida de 56 anos e uma população urbana de 18,19%. O país tem uma composição étnica amplamente diversificada. Ao centro do país vivem os Mossi que representam um quarto da população nacional.

Paradoxalmente nos países do Sahel central (Burkina Faso, Mali e Níger), a intensificação dos conflitos, os deslocamentos migratórios e os choques climáticos deixaram cerca de 5,4 milhões de pessoas em situações difíceis tendo em conta a próxima estação seca. Há muita tensão nas Forças Armadas e larga corrupção nos aparelhos de Estado. Desde 2015 são quase 1.200 mortos e um milhão de deslocados neste país do Sahel.

A insegurança alimentar aguda aumentou 176% na Burkina Faso, 34% no Mali e 39% no Níger, se comparado com a média dos últimos cinco anos. O número de crianças que sofrem de má-nutrição aguda poderá aumentar 21%. Isto pode elevar o número total de crianças malnutridas nos três países para 2,9 milhões, incluindo 890 mil afetadas por mal nutrição aguda grave.

DADOS ECLESIAIS

Atualmente são 21.200.000 habitantes, dos quais 3.112.216 católicos, ou seja, 14,68% da população, segundo as estatísticas publicadas pela Santa Sé.

Há 15 circunscrições eclesiásticas, sendo três arquidioceses e doze dioceses. O episcopado conta atualmente com 25 bispos: um cardeal, um núncio apostólico, dois arcebispos na ativa, três arcebispos eméritos, quatorze bispos na ativa e quatro bispos eméritos. Atualmente está vacante a diocese de Manga.

A organização pastoral se faz por meio de 173 paróquias e 953 centros de atendimento pastoral. Os ministros do povo de Deus são 976 sacerdotes (791 padres do clero secular e 185 membros do clero religioso), 606 seminaristas, 342 irmãos, 28 missionários leigos, 1427 religiosas consagradas, 10 membros de institutos seculares e 7.646 catequistas.

As casas de barro do vilarejo de Tiébélé, em Burkina Faso, chamam a atenção por sua decoração – Foto: Rita Willaert (Blog da Arquitetura)

Os muçulmanos sunitas representam 57% da população, os irmãos protestantes 10%, e os das religiões tradicionais 26% (há dupla pertença e sincretismos). Neste momento, cresce o movimento evangélico pentecostal. A Igreja Católica tem um empenho constante no diálogo inter-religioso, mas há tensões por grupos terroristas.

CURIOSIDADES

A evangelização iniciou com a chegada dos Padres Brancos da África em 1900 e 1901. As religiosas Brancas chegam em 1911. Em 19/07/1901 é criada a Vicariato Apostólico do Sahara e do Sudão francês. Este se torna o Vicariato Apostólico de Ouagadougou em 02/06/1921. A hierarquia foi estabelecida em 1955. O primeiro bispo nascido em Burkina foi sagrado em 1956 e o primeiro cardeal foi criado em 1965.

Bispos da Conferência Episcopal Burkina-Niger – Foto: CEBN

O papa São João Paulo II visitou o país em maio de 1980 e retornou para segunda visita em janeiro de 1990.

Cardeais:

  1. Cardeal Paul Zoungrana, M. Afr. †, Arcebispo de Ouagadougou, criado cardeal presbítero pelo papa São Paulo VI em 22/02/1965. Nascido em 03/09/1917 e falecido em 04/06/2000.
  2. Cardeal Philippe Nakellentuba Ouédraogo, Arcebispo de Ouagadougou, cardeal presbítero eleitor, criado pelo papa Francisco em 22/02/2014. Nascido em 25/01/1945. Cardeal eleitor com 75,86 anos.

Nenhum bispo presente ao Concílio Vaticano I de 08/12/1869 a 20/10/1870.

Bispos participantes do Concílio Vaticano II de 1962 a 1965. Todos falecidos.

  1. Alphonse Chantoux, C.SS.R. †, Prefeito de Fada N’Gourma; ligado diretamente ao Vaticano; Cúria Romana; Idade: 43.7 anos.
  2. André-Joseph-Prosper Dupont, M. Afr. †, Bispo de Bobo-Dioulasso; Idade: 63.7
  3. Dieudonné Yougbaré †, Bispo de Koupéla; Idade: 48.6
  4. Emile-Joseph Socquet, M. Afr. †, Arcebispo Emérito de Ouagadougou; Idade: 60.3
  5. Jean-Marie Lesourd, M. Afr. †, Bispo de Nouna; Idade: 64.3
  6. Joseph-Marie-Eugène Bretault, M. Afr. †, Bispo de Koudougou; Idade: 61.1
  7. Louis-Marie-Joseph Durrieu, M. Afr. †, Bispo de Ouahigouya; Idade: 68.1
  8. Marcel Pierre Marie Chauvin, C.SS.R. †, Bispo de Fada N’Gourma; Idade: 51.4
  9. Paul Zoungrana, M. Afr. †, Cardeal, Arcebispo de Ouagadougou; Idade: 48.0, criado cardeal pelo papa Paulo VI em 22/02/1965.

Mártires recentes da igreja de Burkina:

Philippe Yarga, leigo catequista, assassinado em 16/02/2020 no vilarejo de Pansi, norte de Burkina Faso (agência FIDES).

Em 23/01/2021, foi sequestrado e morto padre Rodrigue Sanon. Seu corpo foi encontrado na floresta do sudoeste do país.

* Perfil da Igreja Católica da República Democrática e Popular de Burkina Faso  (antes chamada de Alto Volta) – Data: 10/02/2021. Pesquisa para o Portal da Consolata preparada pelo Prof. Dr. Fernando Altemeyer Junior – Departamento de Ciências Sociais da PUC-SP.  Email: fajr@pucsp.br

Fontes da pesquisa: www.vatican.vahttp://www.catholic-hierarchy.org/countryhttp://cardinals.fiu.edu/https://secam.org/www.egliseduburkina.org

Conteúdo Relacionado