A espiritualidade feminina de José Allamano

Espiritualidade feminina é muito diferente de espiritualidade feminista. A espiritualidade feminina se refere à face da espiritualidade que se relaciona com o corpo, com a natureza e com os ciclos da criação.

Por Charles Orero *

O conceito de espiritualidade feminina não é sobre gênero, mas sobre a energia espiritual criativa e vivificadora que dá forma ao que nos interessa e no qual colocamos nossa energia. No entanto, o conceito de dar vida não implica maternidade, nem o conceito biológico de fertilidade ou reprodução.

A espiritualidade feminista sustenta que a experiência e as ideias negligenciadas das mulheres precisam ser levadas ao centro não apenas da vida religiosa das mulheres, mas também de sua vida social pessoal. Nos escritos do Padre Allamano, não encontramos nenhum traço dessa espiritualidade feminista.

A espiritualidade feminina de José Allamano cresceu nele, assim como ele também, cresceu nela. Isso significa que foi uma espiritualidade baseada nas experiências vividas desde sua infância.

A mãe Marianna Cafasso e a professora Benedetta Savio

Quando falamos sobre a espiritualidade feminina de Allamano, emergem duas grandes figuras: Sua mãe Marianna Cafasso e sua professora Benedetta Savio. Na biografia de Allamano, Padre Domenico Agasso relata que o pai de José Allamano morreu quando ele nem tinha completado de três anos de idade.

Marianna Cafasso, mãe de José Allamano

A mãe Marianna, portanto, ficou viúva, com cinco filhos pequenos e encarou esta situação com a ternura característica dos tempos, e se encarregou do trabalho, como conta Allamano: “sobre nosso modesto patrimônio, ela conseguiu mandar três de nós para a escola, e ainda aumentou nossos bens em cerca de 12,00 liras”. Ela também tinha os olhos postos nas necessidades dos outros, pessoas pobres do lugar que eram negligenciadas, e interveio com pronta eficiência”.

Sua sobrinha, Pia Clotilde disse sobre ela: “Como ela trabalhava muito, também fazia os outros trabalharem muito, e tinha o suficiente para vestir; quando alguma mulher pobre começava uma família, ela preparava uma grande parte do enxoval para ela, do mesmo modo para os pobres e os doentes, que ela ajudava em suas muitas necessidades”.

Por outro lado, Benedetta Savio dividia seu tempo entre os bebês da creche, sua família e uma vida de piedade. Os testemunhos de seu alegre fervor na oração, mesmo em anos avançados e na doença, têm muito em comum com aqueles que descrevem exemplos mais famosos de santidade.

Espírito de trabalho, generosidade e exatidão

A centralidade destas duas grandes figuras na vida de Allamano influenciou sua ternura, sua generosidade, seu trabalho árduo e sua santidade. Portanto, marcou o conjunto da espiritualidade feminina de Allamano na qual ele aprecia a “figura feminina” não apenas em sua vida, mas na vida da Igreja e de toda a sociedade. O espírito de trabalho duro, generosidade e exatidão, que ele aprendeu com sua mãe, eram vistos em sentido prático em sua vida. De fato, José Allamano, demonstrou uma “exatidão” idêntica ao longo de sua vida.

Em seus escritos espirituais, Allamano deseja todas estas virtudes para seus missionários: generosidade, trabalho duro, espírito de oração e caridade para com Deus e o próximo: “‘ Nosso Senhor quer generosidade”; um verdadeiro missionário tem que dobrar seus esforços; ” os missionários devem trabalhar, mesmo o trabalho manual”; ” você não deve ter medo de sujar suas mãos”; ” nós devemos ser felizes de morrer no campo de nosso trabalho”. Allamano realmente personificou estas virtudes aprendidas com as duas figuras femininas. Como lemos em sua biografia, à exemplo de sua mãe, ele enviava alívio frequente aos pobres.

Uso de terminologias femininas

Em seus escritos espirituais, Allamano usa frequentemente terminologias femininas. Por exemplo, quando escreve para os seminaristas, ele diz: “consequentemente, amo esta casa como uma verdadeira mãe”. Ela te recebeu em seus braços e te alimenta e te prepara para o apostolado”.

O uso frequente do termo “casa mãe” também mostra este aspecto da espiritualidade feminina de Allamano. Ele compara nossa família religiosa a uma mãe amorosa e terna, cujo foco e atenção se dirige a seus filhos: “‘ esta casa é sua Jerusalém”; ” esta casa foi construída para sua formação”; ” nesta casa, Deus oferece muitas graças só para você, para sua santificação, graças que Ele não dá a outros fora desta casa”.

A inclusão de mulheres na missão

O ápice da espiritualidade feminina de Allamano é visto em três aspectos: o nome do Instituto Nossa Senhora Consolata, a inclusão de mulheres em sua obra de evangelização e a fundação da Congregação das Irmãs Missionárias da Consolata.

Em relação ao carisma do Instituto, Allamano teria escolhido um título diferente. No entanto, a sua decisão de dar ao Instituto o nome de Nossa Senhora Consolata está ligado à apreciação de seu papel como figura feminina na história da Igreja e da salvação da humanidade. Allamano acreditava que nossa Senhora é de fato uma Mãe para nós, e nós somos filhos queridos para ela.

Desde o início, Allamano envolveu missionárias (mulheres) em sua missão. Isto é visto na segunda expedição (1902) na qual, junto com os seis missionários, partiram também oito Irmãs: as primeiras mulheres chamadas para o trabalho das Missões Consolata. Esta última foi seguida pela fundação das Irmãs Missionárias Consolata, a quem Allamano frequentemente se referiu como “Papal”, e que o Papa Francisco chamou de “ramo feminino do Instituto”, durante o XIII Capítulo Geral.

Por que a espiritualidade feminina de Allamano?

A espiritualidade feminina de Allamano reúne os dois ramos do Instituto, IMC e MC em uma única família, dedicada ao serviço da Igreja e de toda a raça humana com a chama ardente da caridade para com Deus e o próximo. Além disso, esta espiritualidade reconhece o papel da mulher na evangelização da Igreja e seus papéis na sociedade e nas famílias.

Esta espiritualidade reforça nosso compromisso de promover a dignidade e o papel da mulher na sociedade, lembrando o discurso do Papa Francisco durante o XIII Capítulo Geral, “‘ atenção especial é dada ao compromisso de promover a dignidade da mulher e os valores da família……”. Esta espiritualidade nos permite apreciar a presença e o papel ativo das mulheres consagradas que, seguindo o exemplo da Mãe de Jesus Cristo, se comprometem com obediência e fidelidade ao dom do Amor de Deus.

* Padre Charles Orero, IMC, estuda espiritualidade na Gregoriana em Roma.

Conteúdo Relacionado