Papa convoca um dia de oração pela paz na Ucrânia

24 de janeiro de 2022

Francisco propôs que a próxima quarta-feira, 26 de janeiro, seja um dia de oração pela paz. “Faço um forte apelo a todas as pessoas de boa vontade, para que elevem orações a Deus onipotente, para que cada ação e iniciativa política esteja a serviço da fraternidade humana”, disse o Pontífice ao final da oração do Angelus deste domingo.

Por Bianca Fraccalvieri

O Papa voltou a manifestar a sua preocupação com as tensões na Ucrânia, “que ameaçam infligir um novo golpe à paz” no país, colocando em discussão a segurança da Europa.

“Faço um forte apelo a todas as pessoas de boa vontade, para que elevem orações a Deus onipotente, para que cada ação e iniciativa política esteja a serviço da fraternidade humana”, disse Francisco, recordando que quem persegue os próprios fins em detrimento dos demais despreza a própria vocação do homem, “porque todos fomos criados irmãos”.

Diante deste cenário preocupante, o Pontífice então propôs que a próxima quarta-feira, 26 de janeiro, seja um dia de oração pela paz.

Diplomacia ativada

As crescentes tensões na fronteira entre Rússia e Ucrânia preocupam não só o Papa, mas toda a comunidade internacional. A diplomacia está multiplicando as reuniões e videoconferências para evitar uma agressão militar russa, que no momento nega qualquer possibilidade de uma medida militar real.

Tensão na fronteira entre Rússia e Ucrânia. Foto: Vatican News

No entanto, há mais de 120.000 soldados russos já posicionados na fronteira ucraniana e no território do Donbass, onde, como em Kiev, os exercícios estão na ordem do dia. Também prossegue o fluxo de munições e instrutores militares dos países da OTAN. Um primeiro carregamento de armas, cerca de 90 toneladas, já chegou sob as ordens do presidente estadunidense Joe Biden.

A partir de segunda-feira, os ministros das Relações Exteriores dos 27 países da UE se reunirão por videoconferência com o Secretário de Estado norte-americano Blinken, que está retornando das negociações com Moscou em Genebra. Possíveis sanções em caso de invasão estão sendo consideradas. Também estão previstas conversações bilaterais entre o Reino Unido e a Rússia.

Fonte: Vatican News

Conteúdo Relacionado