Coreia do Sul: reconhecimento pelo serviço aos imigrantes

Reconhecimento público aos Missionários da Consolata – Fotos: Consolata Asia

Os Missionários da Consolata chegaram a Dongducheon em 2007 para estar perto de trabalhadores imigrantes desfavorecidos, muitos deles da América Latina, mas também de países de língua inglesa na Ásia e de muitos outros países africanos.

Por Tamrat Defar *

A cidade de Dongducheon toma seu nome do rio que corre para o norte, encontrando o rio Imjin, que a caminho do mar atravessa a zona desmilitarizada que separa a Coreia do Norte da Coreia do Sul. Há um grande complexo militar americano na cidade chamado “Camp Casey”, e essa presença é tão importante que Dongducheon nunca foi considerada uma cidade até que o número de militares americanos tenha sido adicionado ao dos locais.

Ao chegar na cidade, você vê o lema poético que a simboliza: “Dongducheon: Cidade da Paz. Sonhemos com ela”. As pessoas que mais encarnam este lema são os imigrantes indocumentados que vêm para a cidade para realizar seus sonhos. As pessoas aqui não se sentem ameaçadas pela Coreia do Norte por causa da presença dos militares dos EUA, e os aluguéis são muito baratos.

AO LADO DOS IMIGRANTES

Os Missionários da Consolata vieram a Dongducheon em 2007 para estar perto dos trabalhadores imigrantes menos privilegiados, muitos deles da América Latina, principalmente do Peru, mas também de países de línua inglesa como as Filipinas, Nigéria e de muitos outros países africanos.

Foi o bispo da diocese de Uijeongbu, Joseph Lee Yoon Taek – agora emérito – que nos convidou para trabalhar com os migrantes nesta cidade. Durante os primeiros cinco anos trabalhamos com a equipe pastoral da diocese, depois o bispo nos confiou a parte norte da diocese, que cobre uma área desde a cidade de Dongducheon até a cidade de Yonchon, muito próxima à fronteira norte-coreana.

Comunidade Católica Internacional Dongducheon (DICC)

Em 2012, fundei a Comunidade Católica Internacional de Dongducheon (DICC) e nos últimos nove anos temos executado vários programas para os imigrantes. Junto com a paróquia de Dongducheon e vários voluntários, realizamos aulas de língua coreana (“Hangul”) e celebrado eventos culturais que ajudam os migrantes a conhecer a cultura e os costumes do país. Entre eles, estão festivais e eventos esportivos, que são organizados em colaboração com a prefeitura e o “Centro Multicultural Do Dream”.

Em colaboração com a paróquia local e a nível diocesano, participamos de peregrinações, festivais multiculturais e celebrações litúrgicas, animadas por nosso coral e também nos dedicamos à catequese familiar nas casas. Juntamente com o grupo de voluntários que trabalham com os imigrantes na diocese, também fornecemos assistência material, sanitária e jurídica, em casos de necessidade.

ACOMPANHAMENTO EM TEMPOS DE COVID

O momento mais difícil que vivi em todos estes anos aconteceu em 2020, durante a emergência do Coronavirus: houve um contágio massivo entre os cidadãos estrangeiros. Em fevereiro, um imigrante nigeriano de nossa comunidade morreu da doença e, uma vez que todos foram testados, 82 pessoas deram positivo para o Covid 19. Foi um calvário para todos.

O governo local se apoiou nas igrejas e comunidades com grandes populações estrangeiras para alcançar a todos com o teste e eu estava muito envolvido no acompanhamento epidemiológico.

A cidade ou o centro de saúde pública não paravam de me chamar. No entanto, era muito difícil encontrar as pessoas que haviam se escondido deliberadamente por medo das autoridades de imigração ou de uma possível expulsão. Ainda assim, qualquer negligência no cumprimento das regras tinha consequências e era importante que todos os imigrantes recebessem as informações corretas necessárias para que a cidade pudesse controlar o vírus na grande comunidade de estrangeiros.

Comunidade Católica Internacional Dongducheon (DICC)


Foi um trabalho muito pesado acompanhar as pessoas que deram positivo nos centros onde puderam ser monitoradas e, se necessário, no isolamento hospitalar. Ao mesmo tempo, as freiras de nossa equipe continuaram levando alimentos para as famílias que permaneceram isoladas, às vezes com bebês, crianças ou jovens.

Com o apoio constante das autoridades municipais e dos centros de saúde, hoje podemos dizer que, pelo menos na área de Dongducheon, os casos do Covid 19 são quase nulos e os imigrantes sabem como realizar as normas da quarentena, se necessário.

RECONHECIMENTO PELA HOSPITALIDADE, FRATERNIDADE E SOLIDARIEDADE

Todo este trabalho foi premiado e reconhecido pelo prefeito no dia 1º de abril. Ele agradeceu à comunidade missionária da Consolata e a mim pelo trabalho de assistência e prevenção e apreciou o trabalho realizado durante a emergência. O fato de este prêmio ter sido entregue na Quinta-feira Santa o tornou especialmente significativo para mim: este é tradicionalmente o “dia do sacerdote” quando renovamos nossa consagração ao serviço e ao anúncio da Palavra de Deus.

Devo admitir que este reconhecimento não me pertence somente a mim. Pertence também ao Padre Patrick Mrosso, a todas as Irmãs, aos voluntários com os quais trabalho e tenho trabalhado ao longo dos anos.

Reconhecimento Público

Este reconhecimento vai para todos os Missionários da Consolata que viveram comigo nesta comunidade desde o dia da sua fundação: Padre Juan Pablo de los Rios, Padre Jair Idrobo, Padre José Kim Myeong Ho, Padre Alvaro Pacheco, Padre Juan Pablo Lamberto, Padre Clemente Gachoca e, agora, Padre Patrick. Todos eles deixaram uma marca indelével em seu humilde serviço aos mais necessitados.

A pandemia nos lembrou o quanto é essencial a co-responsabilidade, e que só com a contribuição de todos – incluindo grupos que muitas vezes são subestimados – que podemos enfrentar esta crise. Devemos encontrar “a coragem de criar espaços nos quais todos possam se reconhecer chamados, e permitir novas formas de hospitalidade, fraternidade e solidariedade” (meditação do Papa Francisco na Praça de São Pedro, 27 de março de 2020).

* Padre Tamrat Defar Lemillo, imc, é missionário na Coréia do Sul e Superior da Região da Ásia (Coréia do Sul, Mongólia e Taiwan).

Conteúdo Relacionado