Contra todas as cercas

5 de setembro de 2020

Organizações realizam homenagem a Dom Pedro Casaldáliga na terça-feira, 8 de setembro. Live transmitida pelas redes sociais da CPT, CIMI e MST acontece um mês após a morte do bispo que sempre defendeu os pobres e os povos tradicionais 

Assim como as sementes que geram vidas, das palavras e sonhos de Pedro brotam Fidelidade, Indignação e a Rebeldia. Para homenagear Dom Pedro Casaldáliga será realizada no dia 08 de setembro de 2020 às 16 horas a Homenagem Contra Todas as Cercas. Familiares, amigos e movimentos sociais organizaram ações virtuais para lembrar um mês do falecimento de Pedro Casaldáliga. A transmissão da homenagem será feita pelos canais de Facebook e Youtube da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Conselho Missionário Indigenista (Cimi) e Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), além da retransmissão por canais de outros movimentos e da imprensa.

Assista a Live

Desde o primeiro dia de setembro a CPT, Cimi e MST estão divulgando materiais e lembranças em homenagem a Pedro – assim era acostumado a ser chamado pelos amigos e fiéis. Um religioso, que era poeta e militante de direitos humanos; com sua coragem e lealdade sempre defendeu os pobres e os povos tradicionais. Pedro nasceu em 16 de fevereiro de 1928 numa família de agricultores em Balsareny, província de Barcelona, na Espanha. Em 1943 ingressou na Congregação Claretiana (Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria), sendo ordenado sacerdote em 1952. Em 1968, mudou-se para o Brasil para fundar uma missão claretiana no Estado do Mato Grosso. O Papa Paulo VI o nomeou bispo da prelazia de São Félix do Araguaia no ano de 1971, sua ordenação episcopal deu-se no mesmo ano pelas mãos de Dom Fernando Gomes dos Santos. Ao lado de Dom Tomás Balduíno ajudou a fundar a CPT, o Cimi e deu apoio a inúmeros movimentos sociais e grupos da América Latina.

Pedro tinha sonhos, fé e um profundo amor a causa dos empobrecidos, oprimidos e marginalizados. Dedicou sua vida as causas dos mais pobres. A cada passo ensinou, aprendeu e assim seguirá Pedro Casaldáliga com a natureza amorosa, rebelde e solidária do ser humano.

“Pedro deixou um grande legado que é preciso preservar e cultivar”, escreve Antônio Canuto. A homenagem busca trazer presente exatamente este legado de Pedro, quem foi ele nesta caminhada de lutas ao lado dos povos da Pachamama. Assim, fica também o chamado aos que sejam se juntar nessa grande homenagem a Pedro, compartilhe em suas redes sociais suas lembranças e memórias com e de Pedro, use as hashtags #PedroÉSemente, #PedroVive, #PedroPresente

Fonte: CIMI

Conteúdo Relacionado