Bispos da Amazônia pedem a retirada de tramitação do PL da Grilagem

Em uma região rica em biodiversidade da Amazônia, florestas públicas não destinadas seguem vulneráveis ao avanço do desmatamento e da grilagem. Foto: Christian Braga / Greenpeace

A nota pública assinada por mais de 60 bispos da região afirma que medida terá maior impacto na Amazônia. 

Os bispos da Amazônia entregaram ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, nesta terça-feira (4), por meio da presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), uma carta com considerações sobre o Projeto de Lei 510/2021 e recomendações para a retirada de tramitação.

Na carta, os bispos alertam para os impactos da medida na Amazônia e diz que “não há urgência ou lacuna legal que justifique o retorno de um PL sobre tema tão complexo”.

O documento, assinado por mais de 60 bispos que atuam na Amazônia, foi entregue durante um encontro virtual com a presença do arcebispo de Belo Horizonte e presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo, o arcebispo de Porto Alegre e primeiro vice-presidente da CNBB, dom Jaime Spengler, o bispo de Roraima e segundo vice-presidente, dom Mário Antônio da Silva, o bispo auxiliar do Rio de Janeiro e secretário-geral, dom Joel Portella Amado e o assessor político da CNBB, padre Paulo Renato Campos.

Confira, abaixo, a íntegra da carta ou acesse o PDF (versão em espanhol e italiano).

Fonte: REPAM Brasil

Conteúdo Relacionado